julho 19, 2013

Diário de Viagem: A Ilha da Madeira

Depois de ter visitado vários países, dei-me conta que ainda não conheço o meu próprio país na totalidade. A ilha da Madeira era um desses locais que ainda não conhecia, e com os voos low cost de hoje em dia, só não vai quem não quer!




7 de Novembro de 2012
Dia 1, Funchal: Chegando...

De chegada ao aeroporto depois de um voo calmo, dirigimo-nos à rent-a-car onde um VW Polo nos esperava. Depois de me certificar que não me tentavam "passar a perna" como na Irlanda, partimos rumo à cidade do Funchal.
Rapidamente constatamos onde os tais 6 mil milhões de euros (do famoso buraco financeiro da Madeira) foram investidos. Enquanto que no continente a maioria das estradas se encontra em péssimo estado, aqui existem infraestruturas de fazer cair o queixo!! Desde pontes, autoestradas, marinas a tuneis infindáveis, alguns com mais de 3 km.., e nada de portagens!!


Já no centro, começamos então o nosso passeio pela cidade. Não compensa arranjar alojamento no centro da cidade pois o estacionamento aqui é pago a preço de ouro. 
A primeira atração foi o teleférico que nos leva para o Monte pela extrema exorbitância de 15€ ida e volta, mas não compensa. Mais vale comprar um bilhete só de ida e depois descer por meios próprios, uma vez que existe acesso por estrada.





Igreja de Nossa Senhora do Monte

Após esperar 30 minutos devido a uma avaria técnica, lá partimos para o Monte. O trajeto decorre a uma altitude elevada o que impressiona um pouco, por isso não é aconselhado a pessoas com vertigens.
No Monte pudemos contemplar a magnífica vista sobre o Funchal e visitar a Igreja de Nossa Senhora do Monte, muito bonita por sinal. Por aqui ainda é possível visitar os jardins da Quinta Monte Palace da Fundação Berardo.
O Monte Palace foi no século XVIII um local de muita importância histórica. Na altura era um hotel de luxo que albergou vários hóspedes importantes. Nos dias de hoje, a Fundação Berardo, transformou a propriedade num museu e jardim onde se podem encontrar plantas e flores exóticas de muitos continentes e também animais como patos, cisnes brancos e negros, pavões, galinhas e carpas Koi. É de facto uma experiência agradável passear neste belo jardim.

Depois de voltarmos novamente ao centro da cidade, fomos procurar a tal "Pensão Residencial "Funchal", isto depois de deixar o carro a 2 km de distância, pois como referi anteriormente, estacionar no centro de maneira gratuita não existe nesta cidade.
A residencial revelou-se um verdadeiro "muquifo" como diria qualquer brasileiro que se preze! Mobília velha, cama barulhenta, almofadas de espuma velhas e mal cheirosas e encardidas, o wc nojento e ultrapassado com o chuveiro danificado. Para completar o quadro, o quarto tem vista para as paredes velhas de um quintal qualquer! Nada que as fotos na booking pudessem evidenciar! Escolhi esta pensão por estar bem localizada, mas depois de verificar o problema do estacionamento e a qualidade da pensão, não voltaria a este lugar decrépito.

Na parte da tarde visitamos o Mercado dos Lavradores que fica mesmo em frente ao "muquifo". Comprei banana-prata, maracujá, mangas e outras frutas deliciosas da madeira, muito gostosas.




Depois fomos ao jardim botânico passar uma agradável tarde de muito sol, contrastando com a manhã algo chuvosa. Aqui existem espécies de plantas de todo o mundo e também várias aves. No entanto deixa a ideia de estar um pouco abandonado.









8 de Novembro de 2012
Dia 2, Funchal, Paul da Serra

Ao segundo dia optamos por conhecer o lado oeste da ilha como havia programado.
Passamos então pelas localidades de Câmara de Lobos onde visitamos o Miradouro do Cabo Girão. Depois seguimos para a Ribeira Brava e Ponta do Sol onde fomos "amavelmente" multados por não pagar o estacionamento a tempo (paguei 4 ou 5 minutos depois) algo que viria a descobrir apenas mais tarde.
Depois embrenhamo-nos pela montanha acima por entre florestas densas em direção ao Paul da Serra. A ideia seria atravessar toda essa zona acabando em Porto Moniz e depois seguir para as grutas de S. Vicente. Infelizmente todas as estradas a partir do Paul da Serra se encontravam encerradas devido às enxurradas dos dias anteriores. Fiquei bastante triste pois o percurso que preparei era bastante bonito.
A alternativa foi então voltar pelo mesmo caminho e em Ribeira Brava tentamos uma estrada alternativa para, pelo menos, tentarmos salvar a visita às grutas de S. Vicente, mas também essa estrada se encontrava encerrada.
No regresso ao Funchal fizemos uma pequena alteração para salvar o dia e fomos ao miradouro da Eira do Serrado. É de facto espetacular a vista magnífica a 1095 metros de altitude sobre a vila de Curral de Freiras construída na enorme cratera de um extinto vulcão. A paisagem circundante é algo que não se vê todos os dias!Muitas fotos depois era altura de voltar ao Funchal. 


Cabo Girão

Eira do Serrado




À Noite demos uma volta pela marginal e jantamos num restaurante típico mesmo por baixo da pensão. Pedimos a famosa espetada em pau de louro, um bom vinho e a sobremesa foi pudim de maracujá.


Percurso inicialmente planeado

Percurso alternativo



9 de Novembro de 2012
Dia 3, Pico do Arieiro/ Ribeiro Frio/ Santana

Neste dia estava programada a subida ao 2 ponto mais alto da ilha, o Pico do Arieiro. De facto, nós estivemos lá, mas não deu para ver muito pois o tempo estava terrível. Então optamos por descer ao Ribeiro Frio e fazer um passeio pela Levada dos Balcões. Uma levada é um nada mais do que um canal que leva águas para irrigar os campos de cultivo. Existem várias nesta linda ilha e é um passeio que recomendo vividamente. (mais informação sobre levadas aqui)
Esta levada é muito bonita, não é muito longa e no final somos presenteados com uma vista de tirar o fôlego sobre as montanhas a partir de um balcão.

Pico do Arieiro

Levada dos balcões
Levada dos balcões
Levada dos balcões




Ribeiro Frio/ Portela

Depois de umas sandes e de enxugar um pouco as roupas (pois chovia bastante) à beira de uma lareira decidimos fazer a Levada do Ribeiro Frio-Portela. Era suposto ser um percurso de 11 km mas decidimos voltar para trás depois de decorrido 13 km?!! O percurso valeu a pena mas estava a chover cada vez mais o que dificultou as coisas.

De seguida seguimos para Santana para apreciar as vistas e as típicas casas da região.


10 de Novembro de 2012
Dia 4, Pico do Arieiro/ Ponta de S. Lourenço

Ao quarto dia fomos novamente ao Pico do Arieiro mas voltamos a não ter sorte nenhuma pois o tempo estava encoberto mais uma vez.
A alternativa foi ir até à Ponta de São Lourenço onde passamos uma tarde bastante agradável. Pelo caminho vimos uma das poucas praias com areia (negra) da ilha e magníficas falésias. Para quem gosta de percursos pedestres, a Ponta de São Lourenço oferece um percurso bastante interessante mas exigente.





Na ultima noite aproveitamos a famosa poncha da madeira para acabar com chave de ouro!!



Ficha técnica


Companhia aérea:
Easyjet
Site: easyjet.com
Valores: aprox. 40€ ida e volta no trajecto Lisboa - Funchal (2.20h)
(Dados de Novembro 2012)

Aluguer de automóvel:
Na Europcar através da Easyjet
37€ por 3 dias + SCDW (super collision damage waiver) 12€ por dia

Hotel:
Residencial Funchal  Rua do Hospital Velho Nº 19 A, 9050-032 Funchal
23€/ noite em quarto duplo (2pax)


A minha classificaçao: *
Sujo
Velho e antiquado
Vista para as traseiras
Wc sem condições
Sem estacionamento
Excelente localização
Bom preço

Visitando:
Teleférico para o Monte
Igreja de Nossa senhora do Monte
Mercado dos Lavradores
Jardim Botânico
Câmara de Lobos
Miradouro do Cabo Girão
Ribeira Brava
Ponta do Sol
Paul da Serra
Miradouro da Eira do Serrado
Pico do Arieiro
Ribeiro Frio
Levada dos Balcões
Levada do Ribeiro Frio/ Portela
Santana
Ponta de São Lourenço

Reacções:

0 comentários: