julho 26, 2013

Diário de Viagem: Roma

Esta foi a primeira viagem organizada por mim mesmo. Depois de muito pesquisar na net, descobri que podia poupar muito dinheiro e por apenas 210€ reservei hotel comprei as passagens pela Easyjet.
A ideia era conhecer a cidade em 2 dias e para isso é preciso "dar muito à sola"!!

13 de Dezembro de 2009
Dia 1, Roma: Chegando...




Chegámos ao aeroporto "Fiumicino" onde apanhámos o "Leonardo Express" com destino ao centro da cidade e à Estação terminal (stazione termini), uma viagem que dura 30 minutos. Depois de chegar à "termini", peguei no mapa e começamos à procura da "Piazza S. Geovanni in Latterano" onde fica o hotel que escolhi.
Estava a chover o que dificultou um pouco as coisas. Por breves momentos pensei estar enganado em relação à localização do hotel, mas pouco depois lá encontramos o hotel "B&B Obeliscum".  Fica no 1º andar de um edifício antigo mas encontra-se em bom estado. A proprietária, a Giorgia, é muito simpática e muito prestável e deu-nos logo todas as informações que precisávamos. Para quem tem um orçamento apertado este é um bom local, pois é barato e fica muito bem localizado a uma curta distância do Coliseu e do Fórum. 
Logo por baixo do B&B temos um bar restaurante onde servem "pasta" feita na hora! Foi por aí mesmo que passámos a noite. Comi uma pasta "não-sei-o-quê-com-porcini-e-blá-blá" e uma cervejinha "Murphys", irlandesa por sinal pois aqui não são adeptos da cervejola!
 
De volta ao hotel ainda tive tempo de ligar a tv e ver o primeiro-ministro Berlusconi a ser agredido na cara por um fulano qualquer! Não se falava de mais nada, parece que o "pobre" senhor tinha sido agredido com uma estatueta e teve de ser suturado e trocar uns.. dentinhos! LOL!

14 de Dezembro de 2009
Dia 2, Roma: A jornada vai começar...
 



Estando em plena época  natalícia, seria de esperar que a cidade de Roma estivesse soberbamente decorada como nenhum outro sítio.., mas nada disso! As decorações eram bastante discretas, nada que me tenha deixado desiludido, mas parece que por aqui é mesmo assim.





Depois do "microscópico" pequeno almoço composto por um cappucinno e um croissant, seguimos à conquista da cidade.
Percorremos a longa "San Giovanni in Latterano até chegar ao Coliseu. Achamo-lo bonito mas poderia estar melhor cuidado pois está muito enegrecido pela poluição que o rodeia, mas não deixa de ser um colossal monumento. O bilhete custa uma pipa de massa mas já inclui a entrada no Fórum Romano. 
O interior do Coliseu é algo indescritível e transporta-nos para uma época onde homens combatiam leões. Quase que consigo imaginar a loucura das pessoas nas bancadas neste que é o rei de todos os estádios. Foi bem demorada a nossa visita que incluiu ainda uma exposição num dos andares do edifício.




A construção do Coliseu de Roma foi iniciada entre 70 e 90 d.C.  por Vespasiano sendo inaugurado por Tito por volta de 79 a 81 d.C.. No início o edifício teria capacidade para cerca de 50 000 espectadores mas depois de ser ampliado com um quarto andar, começou a acolher cerca de 90 000 espectadores!
Atualmente em ruínas devido a vários terremotos e inúmeras pilhagens, o Coliseu continua a ser um símbolo do império romano e uma das maiores atrações turísticas em Roma. (1)

Mesmo em frente ao Coliseu fica o "Arco di Constantino" que foi erigido para comemorar a vitória de Constantino na Batalha da Ponte Mílvio em 312 (2). 




De seguida foi a a a vez de visitar o Fórum. O fórum é uma praça rectangular rodeada de várias construções públicas de grande relevância cultural hoje em ruínas. Foi, no seu tempo, um local de grande importância, como que um grande centro comercial onde haviam lugar a discursos públicos, assuntos comerciais, processos criminais, cerimónias triunfais e de eleições e até confrontos entre gladiadores!
Hoje podemos ainda lá podemos encontrar a antiga residência real, o Templo de Vesta, a Regia ou o complexo das casas vestais. Outros santuários foram encontrados a noroeste, como a Umbilicus Urbis e o Vulcanal (santuário de Vulcano), o Comitium, o Senado, os gabinetes do estado, tribunais, templos, monumentos e várias estátuas.(3)




Depois de apreciar as grandiosas ruínas e visitar o museu alusivo ao local seguimos para o monumento a Vittório Emanuelle, que infelizmente se encontrava em obras de renovação, como sempre acontece comigo. Este é um monumento em honra de Vítor Emanuel II ( 14 de março de 1820 - 9 de janeiro de 1878) da Itália, primeiro rei da Itália unificada e considerado o pai da pátria italiana.



A partir daqui, calcorreamos a longa "Via del Corso" que vai direitinha à "Piazza de Popolo". Deve ser a rua das lojas da zona, pois era de facto o que mais havia por lá! Os preços são absolutamente proibitivos! Por isso fomos diretos aquilo que nos interessava por lá, a bela e romântica "Fontana di Trevi"! Ao princípio pensei que me tinha enganado no sítio pois mais aparecia um local de adoração a qualquer deus asiático! Eis que no meio de tanta pessoa de olho rasgado lá consegui um vislumbre daquilo que é a magnífica Fonte de Trevi!

É a maior (26 metros de altura e 20 metros de largura) e mais ambiciosa construção de fontes barrocas da Itália. A fonte marca o ponto final do Acqua Vergine, um dos mais antigos aquedutos que abasteciam a cidade de Roma. A água era proveniente de uma fonte a cerca de 22 quilómetros da cidade e canalizada através de um aqueduto para este local

A fonte é absolutamente linda e não estávamos com vontade de abandoná-la, mas visitar uma cidade destas que é um autêntico museu a céu aberto, é obra!








Sem tempo a perder seguimos para a "Piazza di Spagna". Começou a chover e os 4 graus também não ajudavam, mas a vontade de cumprir o roteiro era enorme e por isso continuamos à chuva...



A Praça de Espanha foi a "Piazza" mais bonita que visitamos em Roma. Cá em baixo, no centro da praça, uma bonita fonte em forma de barco (afetuosamente chamada pelos romanos de La Barcaccia ) chama a atenção. depois a grandiosa escadaria (spanish steps) conduz-nos à apaixonante "Trinità dei Monti", uma das mais fotografadas igrejas de Roma. Aqui em cima, no topo das escadas e em frente a esta bonita igreja, temos vista privilegiada sobre a cidade. Lá ao fundo já consigo vislumbrar a Cúpula da Basílica de São Pedro!
De seguida, sem perder tempo e fugindo da chuva, corremos para o Panteão.
















O Panteão é o único edifício construído na época greco-romana que ainda resiste em perfeito estado de conservação. Foi no início um templo dedicado aos deuses do panteão romano e é desde o século VII, um templo cristão.(5) A sua cúpula é bastante bonita e invulgar, pois possui ao centro uma abertura circular por onde chovia nesse preciso momento.









Atravessando a "Piazza Navona", seguimos pelas margens do Rio Tibre que nos levaria ao "Castel Sant' Angelo"



A sua construção foi iniciada em 135 pelo imperador Adriano, sendo o seu mausoléu pessoal e familiar, mas mais tarde foi convertido em edifício militar.

Continuamos pelo rio abaixo, mas como não parava de chover, procuramos abrigo na igreja "S. Maria in Trastevere". Não sou propriamente admirador de igrejas, mas devo dizer que fiquei impressionado com o que vi. A talha dourada é imponente e rica em detalhes, e a luz que irradia é algo que não se esquece. Passamos por lá algum tempo a admirar os detalhes até que a chuva deu tréguas e pudemos voltar ao hotel. Pelo caminho ainda passamos novamente pelo coliseu, agora muito bem iluminado.




15 de Dezembro de 2009

Dia 3, Roma: O Vaticano e os seus belos museus...



Bem cedinho, dirigimo-nos para o metro onde compramos um bilhete para a estação "Flamínio" que fica um pouco mais acima da "Piazza del Popolo" e daí seguimos pela grande avenida que termina às portas da "cidade estado do Vaticano". Não sou muito religioso nem propriamente fã destes locais, mas história é história!






A Praça de São pedro é imponente, mas mais uma vez deparamo-nos com trabalhos de restauro que levaram a que uma grande área da praça se encontrasse coberta.
O interior da basílica é fantástico e rico em obras valiosas, ouro e muito mais do que possa imaginar. Compramos um bilhete para subir à cúpula da Basílica de são Pedro.  Como não queríamos gastar muito dinheiro adquirimos o bilhete normal que consistia em subir 551 degraus em vez do elevador. Este foi um erro quase fatal! Depois de quase "morrermos" nos tais 551 degraus, chegamos ao topo exaustos e com um ataque de claustrofobia ( neste  caso "escadofobia" )!!

A Vista de 365 graus sobre a cidade é privilegiada e compensou o esforço de quase "esticar o pernil" na subida dolorosa! E como "para baixo todos os santos ajudam", lá fomos nós de elevador de volta à terra!



Depois seguimos rapidamente para os museus do Vaticano onde desembolsamos um verdadeiro balúrdio.
Aqui tivemos de ser bastante seletivos, pois são inúmeras as galerias e muito pouco o tempo. Visitamos o museu egípcio repleto de peças "gamadas" do Egipto e montes de artefatos que já tínhamos visto no país de origem... Visitamos o museu greco-romano e montes de salas depois chegamos ao ponto alto dos museus: a Capela Sistina.  Valeu bem o dinheiro e fico muito contente por ter visto tal maravilha, que era um dos meus sonhos! Não é permitido tirar fotos dentro da capela, mas consegui sacar umas imagenzinhas (sem flash) e fazer um pequeno vídeo que depois vou postar (nada de mais) aqui. As fotos, ficaram um pouco ranhosas uma vez que foram tiradas à revelia dos seguranças que por lá abundavam.





Este foi um amigo que fiz por lá, o Leonardo!!



Quando abandonamos o museu era já bastante tarde, por isso limitamo-nos a seguir as margens do Tibre, apreciando o belo pôr do sol.
Voltamos a atravessar o rio pelo "ilha de Isola" e daí seguimos à procura da famosa "Colina de Aventino" de onde se teria uma magnífica vista sobre a cidade, segundo o manual que transportava. Não foi propriamente fácil de encontrar mas depois de muito procurar lá encontramos a tão afamada colina. Há lá um pequeno jardim apelidado "Jardim dos Namorados" que tem uma vista deslumbrante sobre a cidade que combinada com o pôr do sol é algo demais!



Um pouco mais à frente encontra-se o famoso "buraco da fechadura do Palazzo" . A ideia é espreitar por uma pequena fechadura numa porta e apreciar a surpresa. Através do buraco consiguimos ver um bonito jardim em forma de corredor e ao fundo a Basílica de São Pedro! Uma surpresa bastante agradável!


Nessa noite ainda visitamos a "Fontana di Trevi". À noite é ainda mais bonita!



E assim foi uma viagem inesquecível!!!!



Ficha técnica

Companhia aérea:
Easyjet
Valores: aprox. 40€ ida e volta no trajecto Faro - Stansted (2.30h)
(Dados de 2009)

Ligações:
Aeroporto "Fiumicino" - centro Roma (estazione termini): Leonardo express 
Parte de 30 em 30 minutos e tem um custo de 9.50€

Hotel:
Obeliscum B&B
Merulana 137, 00185 Roma, Itália (Esquilino / Termini)
40€/ noite em quarto duplo (2pax)


A minha classificaçao: ***
Pequeno almoço muito pobre
Excelente localização
Boa relação qualidade/preço

Visitando:
Coliseu
Arco di Constantino
Fórum
Monumento Vittório Emanuelle
Fontana di Trevi
Piazza di Spagna
Igreja Trinità dei Monti
Pantheon
London Tower
Castel Sant´Angelo
Santa Maria in Trastevere
Vaticano
Praça de São Pedro
Basílica de S. Pedro
Cúpula da Basílica de S. Pedro
Museus do Vaticano
Capela Sistina
Colina de Aventino
Buraco da fechadura do Palazzo



Fontes: (1) http://pt.wikipedia.org/wiki/Coliseu_de_Roma
(2) http://pt.wikipedia.org/wiki/Arco_de_Constantino

(3) http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%B3rum_Romano
(4) http://pt.wikipedia.org/wiki/Monumento_a_V%C3%ADtor_Emanuel_II_da_It%C3%A1lia
(5) http://pt.wikipedia.org/wiki/Pante%C3%A3o_(Roma)

Reacções:

0 comentários: